Poupando o Popper mais uma vez

Seis razões pelas quais o darwinismo não pode ser considerado ciência segundo os critérios de Karl Popper:

1. Não é capaz de fazer predições e, portanto, não se expõe à refutação, ou seja, ao teste empírico ou à experimentação. Sendo assim, segundo Popper, o darwinismo é apenas um “programa metafísico de pesquisa”.

2. Estruturalmente o darwinismo é pura tautologia, pois afirma que os mais aptos ou mais adaptados a um ambiente tendem a sobreviver e se reproduzir em maior número, transmitindo assim aos seus descendentes suas características. A tautologia, portanto, consiste no fato de "aqueles que têm sobrevivido com maior freqüência tendem a sobreviver”. É a mesma cousa, por exemplo, que afirmar que “as cadeiras são cadeiras” ou que “os aviões grandes são aviões grandes “. Ademais, não tem poder explicativo e, consequentemente, também não possui poder de antecipação. Resumindo: se determinada geração sobrevivente não sobreviver para além dela é porque não se adaptou às novas condições ambientais.

3. Por se tratar de um programa metafísico de pesquisa, o darwinismo, portanto, não pode ser refutado. No máximo, pode ser discutido e avaliado criticamente.

4. Popper não despreza o darwinismo, muito pelo contrário, considera-o uma inestimável doutrina metafísica.

5. Para Popper toda remissão a Darwin dá-se fundamentalmene em bases estritamente lógico-filosóficas, e não científicas, no sentido de ser empiricamente testado.

6. Resumindo, o darwinismo, na OBRA de POPPER (não na "cartinha"), seria assim uma teoria metafísica irrefutável e, daí, segundo o próprio Popper: um "programa metafísico de pesquisa".

E poupe o Popper!

É isso!

---
Referência bibliográfica:
Polemos: uma análise crítica do darwinismo. José Osvaldo de Meira Penna. Editora da UnB.

Um comentário:

  1. Luiz Fernando13/11/2010 07:29

    Poupe o Darwin! O sujeito encontrou em Madagascar uma flor com 16cm de diâmetro, e previu que deveria existir um inseto polinizador com uma língua desse tamanho. Algum tempo após a morte de Darwin, uma mariposa com a língua desse tamanho foi desoberta na área, e batizada de Xanthopan morganii praedicta, em homenagem à previsão realizada pela Teoria da Evolução. Toda a pesquisa na área de antibióticos somente funciona tendo como base a capacidade de previsão dada pela Teoria da Evolução. Isso e vários outros exemplos. Portanto, a idéia de que a Teoria da Evolução não prevê nada é totalmente furada.

    Se Popper alguma vez entendeu o mecanismo da seleção natural como "aqueles que têm sobrevivido com maior freqüência tendem a sobreviver”, meus parabéns pela gafe. Darwin jamais pronunciou tal absurdo. Aqueles mais eficientes em sobreviver geram mais descendentes pois obviamente passam mais tempo vivos para fazê-lo, e transmitirão em maior número por herança as qualidades que os tornaram mais aptos do que outros a sobreviver. Por outro lado, indivíduos menos aptos sobreviverão menos tempo, portanto deixarão menos descendentes, acabando por ser sobrepujados em número e finalmente extintos pela concorrência.

    Esse mecanismo, a seleção natural, que não tem nada de circular ou tautológico, é uma observação empírica, e não uma teoria a ser falseada. Que teoria falseável eu preciso elucubrar para chegar à conclusão que um leão de 350 quilos terá mais sucesso na luta por alimento e na disputa pelas fêmeas do que um leão fraquinho de 150 quilos? Alguém teria que ser muito estúpido para supor que o leão mais forte que consegue mais comida e mais fêmeas terá menos chance de deixar descendentes que o leão fracote, já que ambos competem entre si por recursos, que não existem em quantidade ilimitada. Isso não é uma teoria, é um fato observável.

    Em cima deste fato observável (a seleção natural), Darwin postulou sua teoria, a de que é este o mecanismo que fomenta, em conjunto com a variação e hereditariedade, a alteração lenta e gradual dos organismos, gerando a diversidade da vida como vemos hoje.

    Apenas lembrando, evolução é uma coisa, seleção natural é outra. Que havia transformação gradual dos organismos (evolução) já era sabido há séculos antes de Darwin. Evolução aliás, também é uma observação empírica.

    O que Darwin fez fois simplesmente conectar uma coisa à outra, por isso o nome "Teoria da Evolução das Espécies por Seleção Natural". A forma como a hereditariedade funciona não era compreendido por Darwin na época, mas foi devidamente elucidado mais tarde com a genética. Enfim, uma idéia bastante simples e óbvia, mas que precisou de um gênio como Darwin para surgir.

    O mais impressionante sobre essa teoria, é que embora monumentalmente simples em sua concepção, mesmo acadêmicos como Popper não foram capazes de entendê-la. Mais impressionante ainda é ver que, após 200 anos de massiva coleta de evidências e confirmações, e dezenas de tentativas fracassadas de apontar falhas que desacreditassem a teoria, ainda há pessoas que insistem em dizer que tudo não passa de especulação, um mero devaneio opiniático de um "metafísico".

    ResponderExcluir

Excetuando ofensas pessoais ou apologias ao racismo, use esse espaço à vontade. Aqui não há censura!!!