Fotos antigas de Garanhuns (Pernambuco) - XVI

As imagens e o texto a seguir, foram, publicados na revista “Illustração Brasileira”, em sua edição de junho de 1924. O texto revela características geográficas e sociais da bela cidade de Garanhuns, no interior do Pernambuco, numa época em que o município recebia forte investimento do governo.

---
“Data do século XVII a existência da adiantada atual cidade de Garanhuns, então aldeia de índios, e hoje das de maiores possibilidades econômicas no Estado de Pernambuco. Situada a 866 metros sobre o nível do mar, com temperatura variante entre 19,35 graus, no inverno, e 22,7 graus, no verão, o seu aspecto geral é agradável e o seu clima muito acentuadamente salubre, constituindo-se o município de que é sede uma espécie de sanatório natural para os doentes do fígado e de moléstias do tubo respiratório. É o mais apropriado recanto pernambucano para a imigração de estrangeiros, que aí encontrarão noites deliciosas, quase europeias, com temperatura no verão não superior 40,15 graus, e no inverno 30, com uma média de 30,62 graus nas duas estações. Com uma superfície de 4.032 quilômetros quadrados, o município é ocupado, por matas e capoeirões numa superfície de 376 quilômetros quadrados, e 2.034 de campos forrageiros. A cidade é habitada por quase 10.000 almas, e o seu comércio se desenvolve rapidamente. De boa edificação, Garanhuns é formada por ruas, avenidas e praças, subindo o seu número de casas já a 1850, sendo seus edifícios mais notáveis: a Catedral, a Matriz São Sebastião, o Colégio de Santa Sofia, a agência do Banco do Brasil etc. A instrução pública é difundida com carinho, tendo o Colégio Santa Sofia, equiparado a Escola Normal Oficial do Estado o Ginásio Diocesano, o Grupo Escolar Severino Ribeiro, 7 escolas estaduais, 11 municipais, 15 particulares subvencionadas. Sede do bispado, o seu atual 1º prelado, sacerdote de grandes virtudes e erudição é D. João Tavares de Moura. Cabeça de comarca compõe a magistratura local o íntegro juiz de direito Dr. Ernesto Vieira Santos, o juiz municipal Dr. João Clímaco e o promotor público Dr. Alfredo Vieira da Silva.

A cidade que vem progredindo grandemente nos últimos anos, conserva com gratidão a lembrança do governo benemérito do Coronel José de Almeida Filho, que a reorganizou quase radicalmente.

Esta ação reconstrutora continua a ser observada pelo Sr. Luiz Brasil, atual Prefeito, cujos esforços são reconhecidos por todos os munícipes. De iniciativa sua foi a construção da estrada de rodagem para Brejão, recém-inaugurada, estando também quase concluído o novo edifício da Cadeia Pública, ora mandado fazer pelo Estado. O seu posto de profilaxia rural, denominado "Rodolfo Galvão ", dirigido pelo Dr. Luiz Guerra, presta os mais relevantes serviços à população, unânime em elogiar a ação patriótica do Dr. Amaury de Medeiros, diretor dos Serviços Sanitários Ido Estado.

Ligada a Recife e Maceió por estrada de ferro, uma regular rede de estradas carroçáveis põe Garanhuns em comunicação com numerosos núcleos do Estado, dando-lhe uma vida febril de progresso e fomento geral.

Os povoados do município, São João, Angelim, Brejão, Serra de São Luiz Gonzaga, São Pedro, Timbó e São Caetano, cada um com a sua capela e a sua escola pública, refletem bem o ânimo administrador e honesto dos governos municipais. A riqueza da capital do Município se consubstancia na lavoura e na criação.

As obras de couro confeccionadas em Garanhuns chamam a atenção pelos seus menores detalhes, mas a pouca produção atual ainda não as tornou conhecidas em lugares mais distantes.

Consiste o comércio local na troca de gêneros das regiões agrícola e pastoril nas feiras semanais, que têm muita afluência de sertanejos dos mais distantes pontos, mesmo para além das fronteiras municipais.

Nessas feiras, os legumes, a rapadura, a aguardente, o açúcar em pequena escala e as tábuas são vendidos em troca de tecidos e armarinhos para uso doméstico.

O seu algodão e o seu fumo são recomendados pela qualidade.

A natureza foi prodiga na distribuição de riquezas, distribuídas pelas terras de Garanhuns.
O reino animal como o vegetal apresentam as mais variadas e úteis espécies; o reino mineral contém gneiss e granito, como já o provou a comissão encarregada de apresentar relatório das obras públicas do Estado ao governo.

Infelizmente o progresso material de Garanhuns não é acompanhado pelo adiantamento intelectual.

Entretanto este já existe em proporção animadora, engrossando-se dia a dia a corrente que deseja trabalhar eficazmente pelo despertar da operosa Garanhuns neste sentido.

Berço de espíritos que têm brilhado nos mais civilizados meios do país, a florescente cidade pernambucana, metrópole material dos sertões, brevemente ocupará no movimento intelectual do Estado a posição que lhe está naturalmente reservada.
Garanhuns/PE (1924): Uma vista da Catedral 

Garanhuns/PE (1924): 1 - Posto de Profilaxia Rodolfo Galvão; 2 - Trecho da Rua Dr. José Mariano 

Garanhuns/PE (1924): O Colégio Santa Sofia, vendo-se ao lado o prefeito da cidade o sr. Luiz de Barros Correa Brasil 

Garanhuns/PE (1924): Inauguração do Grupo Escolar Severino Pinheiro 

Garanhuns/PE (1924): Aspecto da estação da via-férrea, por ocasião da visita do Dr. Pinto de Abreu, Secretário Geral do Estado, quando na inauguração da Escola Severino Pinheiro 
Garanhuns/PE (1924): 1 - Palácio Episcopal; 2 - Casa de propriedade da senhora Petra Pequeno, situada à Rua Santo Antônio; 3 - Prédio da Empresa de Melhoramentos; 4 -Residência do Coronel José de Almeida Filho, à rua 15 de Novembro



---
Biblioteca Nacional Digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Excetuando ofensas pessoais ou apologias ao racismo, use esse espaço à vontade. Aqui não há censura!!!